CINEMA: Martyrs (Mártires, 2008)

Depois de uma passagem pelo oriente, o cinema de terror parece ter encontrado seu lugar na Europa. Da Espanha veio o apavorante REC, que teve uma refilmagem “made in USA” e que terá uma continuação ainda esse ano, da Alemanha França tivemos Haute Tension (Alta Tensão), e a França também contribuiu com Frontière(s) (A Fronteira), A L’Interieur (A Invasora) e esse Martyrs.

Terrivelmente violento e recomendado para quem tem estômago forte, Mártires vai conduzindo o espectador por um emaranhado de dúvidas que só parecem aumentar até os sessenta minutos iniciais, mantendo um clima tenso com elementos do sobrenatural.

O filme conta a história de Lucie, ainda uma garota, torturada e mantida em cativeiro mas que consegue escapar.

O que parecia o fim mostra-se na verdade o início dos pesadelos da jovem, que carregará consigo as sequelas do seu aprisionamento e com consequências futuras.

Anos depois, vemos Lucie invadir uma casa e chacinar seus habitantes impiedosamente. Por quê?

Como disse antes, essa é a grande questão que fica rodopiando enquanto a trama se desenrola, e quando a desvendamos uma outra surge, e mais uma vez voltamos às dúvidas, que serão respondidas de forma trágica e agonizante no final bastante original, pessimista e deveras cruel.

Com direção precisa, trilha sonora de arrepiar, bons sustos, doses extremas de violência e litros de sangue, ‘Mártires’ é daqueles filmes para não esquecer e te fazer dormir com medo, enquanto as cenas se repetem na memória.

Enquanto em Hollywood a carência de boas ideias para o gênero parece imperar, na Europa elas parecem borbulhar, os fãs do gênero agradecem.

__________________________________

12 pensamentos sobre “CINEMA: Martyrs (Mártires, 2008)

  1. A Soraia comentou sobre não encontrar esse filme em locadoras, mas realmente não tem como encontrar já que ele não foi liberado no Brasil.
    Para mim, um ótimo filme!

    Curtir

  2. Sinceramente, já fiquei mais angustiado, horrorizado, perplexo com outros filme onde não havia tamanha tortura gradativa. Não sei qual o motivo real para tanto. Achei, no final de tudo, um filme besta, recomendo tão somente a quem goste de sangue. De zero a dez? Quatro? Acho que, talvez, três, ou quatro, mesmo.

    Acho que toda a tortura se tornou banal, como se tornou para Ana, foi a reflexao que tive a partir da indiferença em relação ao sofrimento, após um tempo, e, por conta disso, não me causou mais nada. O filme está mais para suspense que para terror – e suspense apenas nos primeiros 30 minutos.

    Curtir

  3. Olha só, Soraia, você encontra vários torrents para o filme no PirateBay: http://thepiratebay.org/search/martyrs/1/99/100,200,300,400,600/, feito isso, você entra no LegandasTV: http://legendas.tv/, faz um pequeno cadastro e busca a legenda para o filme. Sugiro que primeiro faça a parte do LegendasTV, vendo as legendas disponíveis para qual versão, e só depois baixe o filme. Caso não saiba como fazer para baixar usando torrente, recomendo dar uma lida nesseartigo: http://gattune.blog.br/pirate-bay-download-de-filmes-musica-jogos-e-softwares/ , em caso de dúvida, manda um e-mail. Abraço.

    Curtir

  4. Alguém sabe me dizer como consigo o filme mártires com legenda em português? Pesquisei num monte de locadoras daqui e nada, se puderem me dar esta dica agradeço,

    Curtir

  5. Você tem razão, Eduardo, Haute Tension é um filme francês (obrigado pela correção), ou seja, a FRança tá com tudo em se tratando de filmes de terror. E o filme é tudo isso que você citou mesmo, prende a atenção até o último minuto. E volto a dizer: não é um filme pra todo mundo, imagino esse filme no cinema daqui.

    Curtir

  6. Acabei de assistir. Vou deixar aqui o que já comentei em outro blog (onde o cara descreveu como vc, sem entregar nenhum spoiler):

    Um filme sufocante, claustrofóbico, angustiante, martirizante…fiquei sem piscar por 1 hora e meia.

    E eu que pensava que o gênero terror estava acabado, confesso que calei a boca. Já tinha ganhado boas perspectivas de renascimento do gênero com o inglês ‘Eden Lake’. Com ‘Martyrs’ agora, estou confiante e esperando novas produções. E viva o cinema francês.

    Vc sabia que o diretor, o Pascal, vai dirigir a nova versão de ‘Hellraiser’? Cinam hollywoodiano, sobretudo as novas versões, me assusta (antes do filme começar, ahahahah).

    E agora vou ver se encontro ‘A Invasora’ e ‘REC’. Essa nova safra da Europa me deixou animado. Só uma coisa: não sabia que ‘Alta Tensão’ era da Alemanha, sempre achei ser da França (de qq forma, ambos os países são geniais em produzir filmes).

    Curtir

  7. Rapaz, O Chamado foi um caso em que achei a versão hollywoodiana melhor que a japonesa. Quanto a falta de criatividade dos roteiristas da terra de tio sam, isso já vem de vários anos. O cinema europeu, em termos de terror/suspense, que não é comum, tem mostrado bons filmes. Cito: Eden Lake (UK), REC (Espanha), Haute Tension (Alemanha).

    Curtir

  8. boa dica, reaçmente hollywood desaprendeu a fazer filmes de terror/horror, ai pega filmes de outras praças e estraga. como foi o caso de “o chamado “…

    Curtir

  9. Gostei bastante do Martyrs tb, não sou muito fã de filmes de tortura, acho Saw e Hostel umas bobagens, mas esse filme é bem mais interessante e bem realizado, dramático. Nem achei apelativo no sentido de nojeiras (ok… tem a cena da banheira rs), mas a tensão psicológica é quase insuportável, especialmente na parte final.

    Curtir

  10. Assisti Eden Lake, Eduardo, gostei muito, inclusive vi os teus comentários sobre o filme. É um filme inglês mesmo e tem um final bem imprevisível e pessimista, diferente dos filmes hollywoodianos.

    Curtir

  11. Nossa, eu vi ‘Alta Tensão’ há uns tempos atrás, e confesso que gostei. Não foi aquela maravilha, porém, fiquei preso na cadeira durante o tempo exato do filme. Na época, até fiz uma resenha para o Outernative (mas, filme de terror, ainda por cima desconhecido, já sabe como será a reciprocidade do público, não é?).

    Esse que vc comentou, me interessou. E há muitos tempos que digo que o gênero terror deu uma enfraquecida, mas aí paro e penso que seja apenas na cansada indústria hollywoodiana. Na Europa ainda tem muita coisa para ser descoberta, que mal é comentada, que precisamos correr atrás. Aí, sim, poderemos ver coisas que ainda nos façam sentir medo e de ir dormir pensando naquilo.

    A propósito, vc assistiu ‘Eden Lake’?
    Foi um dos meus prediletos de 2008.
    Acho que ele é da Inglaterra.
    :)

    Abraços.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s