Odawas – ‘The Blue Depths’ (2009)

Odawas é uma banda de Bloomington (Indiana, EUA) que apareceu em 2003 sem muito falatório. Há dois anos atrás, eles vieram com um disco bem trabalhado, o ‘Raven And The White Night’. Através de diversas ferramentas da internet (aka blogs, myspace e lastfm) eles começaram a sair da penumbra. E se você não conhece o disco já citado, faça-me o grandioso favor de ouvir – pelo menos – a canção ‘Alleluia’ que está contida nele.

Pautados na citada canção no parágrafo acima, era fato que o Odawas apresentava sinais de que tinha verve artística e talento para vir com algo mais lapidado. O resultado vem em forma de 8 canções. Se há um temor do terceiro disco para certas bandas, o Odawas pode ficar tranquilo. O grupo passa no teste.

Desde a abertura suntuosa e enigmática de ‘The Case Of The Great Irish Elk’ ficamos cientes que adentrar na sonoridade do grupo pode causar a síndrome do não apertar a tecla stop. Sintetizadores, vocoders, efeitos, arranjos milimétricos, harmônicas, dedilhados de cordas, tudo que ornamenta a arte de compor bela música. Quer seja o piano que abre a onírica ‘Secrets Of The Fall’, ou até mesmo o retorno de belas e grudentas melodias pop como acontece em ‘Swan Song For The Humpback An’ e ‘The Sound Of Lies’, o Odawas abre um leque multifacetado de semelhanças/influências que passam – sem pudor nenhum – por Beach Boys, Angelo Badalament, Grandaddy, Iron & Wine, Tim Buckley. A bem da verdade, como é gratificante uma banda ter todas essas referências impecáveis.

Para o ouvinte, mais duas pérolas estão por vir. ‘Harmless Lover’s Discourse’ que nos deixa com o queixo caído – assim como os ouvidos atentos – e é transformada numa soberba canção de folk-pop com direito a vocais repletos de efeitos contracenando com sintetizadores precisos. O fechamento vem em tom épico, quase canção de trilha sonora de algum fantástico diretor de cinema da atualidade quando escutamos ‘Boy In The Yard’. Uma percussão virtuosa que se mistura a uma melancolia que acaba nos fazendo bem ao coração. Até sinos que se misturam ao instrumental? Deixa eles fazerem isso. Deixa.

Há 15 dias que não paro de ouvir o disco. Apesar de pouco discutido nesta resenha, é uma obra que a cada dia me apresenta mais detalhes novos. E nunca aperto o stop. Minto. Apertei sim, num certo dia. Foi apenas para sair do meu quarto para tomar um pouco de fôlego e recomeçar, feliz e hipnotizado, tudo de novo.

Nota: 8,0

3 pensamentos sobre “Odawas – ‘The Blue Depths’ (2009)

  1. Pingback: MELHORES ÁLBUNS DE 2009 « love no more

  2. Confesso que no atropelo dos lançamentos acabei baixando esse e não ouvi com calma, apesar de ter sido arrebatado com Aleluia (de seu álbum anterior). Interessante que essa era uma das bandas que guardava certa expectativa por um novo álbum…acho que preciso começar a fazer anotações dos álbuns que tenho que ouvir…uma espécie de fila.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s