POP ONÍRICO: Raymond Scott Woolson – Atmospherium (2003)

Raymond Scott Woolson é um enigma, seu site possui pouquíssimas informações a respeito do artista, no site de sua gravadora também. Mais raro ainda é encontrar uma foto sua. Essa aura de mistério ao redor do guitarrista talvez queira sublinhar que o que mais importa na verdade é sua música. Trabalhando canções totalmente instrumentais, Woolson cria viagens siderais em ambientes repletos de melancolia e beleza. Herdeiro das texturas etéreas de Robin Guthrie (Cocteau Twins), sua música transita entre o dream-pop e o ambient, com resultados sempre arrebatadores. “Atmospherium” é seu primeiro álbum, gravado de forma caseira entre 1998-1999, sendo remixado em 2002 e lançado em CD-R pelo selo de propriedade do artista. Já que não há letras, Woolson usa samples diversos, desde vozes de crianças até canto de pássaros. “Aurora: Jubilate Deo”, a última das sete faixas do álbum, é um mergulho num oceano de guitarras reverberantes; “Mona Risan” também é outra viagem inevitável pelo espaço. Fãs de Slowdive, Robin Guthrie, Malory, Resplandor irão se deleitar com essa valiosa coleção de canções oníricas de “Atmospherium”.

+ LINK NOS COMENTÁRIOS (Link in comments)

__________________________________

2 pensamentos sobre “POP ONÍRICO: Raymond Scott Woolson – Atmospherium (2003)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s