POP ONÍRICO: Scarlet Youth – Goodbye Doesn’t Mean I’m Gone (2010)

Scarlet Youth é um quinteto finlandês formado por membros de quatro outras bandas (Iconcrash, ShamRain, Kemopetrol e Sidewaytown).

Já haviam aparecido por aqui em 2009 com o EP ‘Breaking the Patterns’, um aperitivo que abriu o apetite para o álbum cheio.

No EP eles tanto enveredavam por um lado de guitarras escalando as alturas como por um outro atmosférico, vide o uso de camadas de teclados.

Em ‘Goodbye Doesn’t Mean I’m Gone’ as opções são as mesmas, com o lado mais denso e atmosférico prevalecendo.

Os vocais de Markus Baltes (Sidewaytown) são como sussuros, em dados momentos exalam certa melancolia.

A abertura com ‘Sofia C’ pode assustar, pois foge completamente da sonoridade habitual do grupo, remetendo inclusive ao gótico do The Mission, mas é só entrar ‘Catch Me When I Fall’ que começamos a reencontrar o som do grupo: ondas de guitarras e camadas de teclados se revezando numa viagem hipnótica.

Ao contrário de muitas bandas dream-pop, as opções do Scarlet Youth em seu primeiro álbum não é prestar homenagens aos ícones shoegaze noventistas, optam, e já haviam deixado isso claro antes, por buscar caminhos dentro de um estilo que muitos insistem em afirmar que está esgotado, para isso chegam a deixar de lado as guitarras, compondo uma canção como em ‘I’ll be Waiting’, em que baixo e teclado são os elementos chave.

Outra opção é por trabalhar um lado mais melódico, integrando a sua sonoridade dedilhados sutis de guitarra, como nas faixas ‘Betwen Summer and Spring’ e ‘Twilight Room’, além do baixo geralmente estar em primeiro plano.

O resultado é um álbum denso que por vezes lembra ‘Disintegration’, do The Cure, só que com um acento dream-pop.

_________________________________________________

2 pensamentos sobre “POP ONÍRICO: Scarlet Youth – Goodbye Doesn’t Mean I’m Gone (2010)

  1. o Markus é também mentor da Banda Autumnblaze e dos extintos Paragon Of Beauty assim como dos Shivertrip. É bom que estas bandas sejam mencionadas quando se trata deste Deus do panorama metalico alemão. Todas as bandas onde ele está ou esteve são perfeitas. Desde 98, com o 1º Album dos Autumnblaze que sou fã e sempre arranjei ou tentei arranjar todas as bandas onde ele pertencia. Portanto, quem aprecia muito os Sidwaytown ou estes Scarlet, que procure por Autumnblaze e Paragon of Beauty. Vão gostar imenso :)

    Curtir

  2. Um dos discos do ano. E nem precisou de muito estardalhaço, ou de muita falação na mídia. O disco é todo bom, nenhuma música supera a outra, todas com grande qualidade. Em alguns momentos (e pode ser até viagem de minha parte) lembrei até de Ride. Banda competente, que traz um début marcante e nos deixa com aquela vontade de conhecer os próximos trabalhos.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s