OU NÃO?: Chapel Club

ANTERIORES:
+ Magenta Skycode
+ Agnes Obel

São de Londres e ouviremos falar bastante deste quinteto, ou não?

Acabaram de lançar seu primeiro álbum, ‘Palace’, que inclusive era o nome da banda inicialmente, mudando para Golden Age, e finalmente Chapel Club, que se solidificou. A música do grupo é cheia de intensidade, conseguida através de paredes grossas de guitarras distorcidas, cozinha com pegada pesada e os vocais marcantes de Lewis Bowman, contista/letrista/vocalista, cujos dotes vocais por vezes remetem a Ian McCulloch. Influências tanto do shoegaze quanto do pós-punk inglês podem ser sentidas aqui e ali, mas como revelou o próprio vocalista: “Londres é completamente obcecada por modas e tendências, e assim que montamos a banda queríamos que a nossa música existisse de forma separada de toda essa celebração. Algo que pudesse realmente durar, que valesse à pena”. Alguns poderão imaginar um novo Editors ou Interpol, mas felizmente eles conseguem agregar elementos similares e chegar a um resultado um tanto diferente das bandas citadas. Não há dúvidas que em um ou outro momento a música deles se encontram (quando o lado mais oitentista aparece), mas o Chapel Club prefere explorar um lado mais viajante, quase etéreo, com camadas de guitarras, ao invés do lado dançante/pulsante ou a densidade sombria. Lançado no finalzinho de janeiro, ‘Palace’, cujo clip de ‘Surfacing’ provocou polêmicas religiosas, tem qualidades para fazer do Chapel Club uma das revelações de 2011, ou não?

+ Veja o vídeo de ‘Surfacing’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s