BRITISH SEA POWER – Valhalla Dancehall (2011)

O British Sea Power, banda inglesa de Brighton, teve no seu início de carreira (o álbum “The Decline Of British Sea Power” – 2003) um som baseado no pós-punk do Joy Division e no indie rock do Pixies. A seguir fez um trabalho interessante e mais bem elaborado – “Open Season” (2005) e atingiu seu ápice com o excelente “Do You Like Rock Music?” (2008) – influenciado por bandas como Flaming Lips, The Strokes e Pulp.

“Valhalla Dancehall” retoma parcialmente o caminho dos três primeiros álbuns, sendo basicamente uma mistura dos mesmos. “Man Of Aran” (2009), álbum anterior, foi um trabalho mais diferenciado – introspectivo, denso e instrumental (até por ser trilha sonora de um documentário).

Nessa mistura toda, observamos uma tentativa quase desesperada da banda criar uma variedade sonora que agrade gregos e troianos. No “samba do crioulo doido” temos um indie-rock-pós-punk temperado com grunge, rockabilly, shoegaze e até dreampop! Seria essa atitude inocente? “Crianças” brincando de “pêra, uva, maçã ou salada mista”?

A verdade é que, apesar do excesso de ingredientes que constituem a sopa (“mistureba”) do caldeirão do BSP, o resultado acaba sendo mais interessante que o segundo álbum do Glasvegas ou o mais recente do Radiohead. Sacuda o esqueleto com o rock de pegada e de guitarras alucinantes com “Who’s In Control” e “We Are Sound”. Viaje e flutue ao som de “Baby”, “Cleaning Out The Rooms” e “Once More Now”. Bons momentos ainda com “Mongk II” (sombras do Sonic Youth presentes), “Luna”, “Living Is So Easy” e “Observe The Skies”.

A explicação da miscelânea musical de “Valhalla Dancehall” está no próprio título: “cidade” dos espíritos de guerreiros vikings mortos em batalhas que dançam um reggae comandado por um DJ! Surreal?!

3 pensamentos sobre “BRITISH SEA POWER – Valhalla Dancehall (2011)

  1. Decepção esse disco ou eu não estava no estado de espírito apropriado para ouví-lo. Muito chato, “comum” e nada surpreendente.

    Curtir

  2. Valeu o comentário Flávio! O novo do Radiohead até me agradou, apesar de não ser um trabalho significativo na brilhante carreira da banda. Radiohead, como vc afirmou, sempre lança um álbum acima da média das demais bandas!

    Curtir

  3. Bom texto! BSP e The National são as melhores bandas da atualidade em minha humilde opinião. (SY e Radiohead são hor-concurs e mesmo quando lançam coisas medianas sempre estão a frente dos outros)

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s