NÃO DIGA QUE NÃO AVISEI: Dylan Dog: Dead Of Night (2011)

ANTERIORES:
+ Season of the Witch – Caça às Bruxas (2011)
+ The Collective – O Coletivo (2008)

Este é mais um daqueles filmes que misturam terror, comédia e ação. Não bastasse isso, é mais um que envolve um mundo onde homens , vampiros, lobisomens, zumbis e outras criaturas vivem juntos – nem tão harmoniosamente assim, claro. Essa temática envolvendo criaturas do gênero terror tentando compartilhar um mesmo ambiente com humanos ou mesmo brigando entre eles já é tão comum hoje em dia. Alguns rápidos exemplos estão aí: ‘Blade’ e ‘Anjos da Noite’.

Vai lá que se a película tiver um bom roteiro e se segurar no que ele propõe, até somos capazes de nos esquecer dos clichês. Este não é o caso de ‘Dylan Dog: Dead Of Night’. Dylan (Brandon Routh, mais conhecido pelo papel do último ‘Superman Returns’ de 2006) é um detetive com poderes extra-humanos/sobrenaturais que investiga os casos num submundo obscuro envolvendo as criaturas e os homens. Após receber um caso especial, se vê diante de algo que pode comprometer o futuro da Terra. Quando você começa a ver o filme, sabe bem do que se trata, e você já viu isso antes, na longa história do cinema.

CUIDADO: CERTOS SPOILERS
O problema é que o longa até empolga nos minutos iniciais. Depois, se perde em cenas de ação monótonas ou com coreografias já manjadas, reviravoltas insossas, a questão entre vampiros e lobisomens não é tão bem retratada assim, e o passado do nosso herói também fica um pouco no ar e poderia ter melhor apresentação (flashbacks maiores). Um final ridículo e tudo para nosso herói acaba se tornando fácil demais (o que não parecia ser, ou não deveria ser pelo que tínhamos assistido). Nada se salva? Sim. As piadas envolvendo Groucho, o parceiro de Dylan (que teima em dizer que não é um morto-vivo e tenta se acostumar à ideia) e também a ‘oficina’ onde zumbis podem requisitar peças (na verdade, partes do corpo) novas pra eles. Essas são partes do filme onde algumas boas risadas são garantidas.

LEIA TRANQUILO:
Ao ver o filme, me lembrei logo do antigo ‘Os Aventureiros do Bairro Proibido’ (1986). Aquele filme besteirol, efêmero, que não acrescenta nada ao cinema, fadado a inúmeras ‘Sessões da Tarde’ da vida. E que você até assiste novamente por não ter outra opção. As adolescentes podem adorar por ter Brandon Routh no elenco (e convenhamos, o ator se passa realmente por galã). Alguns fãs de HQ’s (a qual ele foi baseado) também podem gostar. Mas em se tratando de versões de quadrinhos para cinemas, fique com o estupendo ‘Sin City’ (2002) e veja novamente que é mais rentável.

IMDB

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s