GUIA DAS SÉRIES: Alcatraz

ANTERIORES:
+ Boardwalk Empire
+ Haven

Emissora dos EUA: Fox
Anos de exibição: 2012.
Temporadas: 1 (com 13 episódios cada).
Produtor: J. J. Abrams
Criadores: Elizabeth Sarnoff, Steven Lilien, Bryan Wynbrandt
Duração: de 40 a 45 minutos
Temáticas: mistério, ficção, casos policiais, enigmas envolvendo espaço-tempo, prisões.

Há muito tempo não sinto mais tanta admiração nos trabalhos de J. J. Abrams. Não sei se foi por conta da decepção que tive com ‘Super 8’ ou mesmo de que considero que as obras do diretor começam arrebatadoras e depois se perdem (e olha que ainda acompanhei ‘LOST’ e ‘Fringe’). Mas, por ser um cinéfilo de carteirinha, e por gostar da temática de viagem/fenda no tempo ou essas questões relativas à linha espaço-tempo, resolvi acompanhar ‘Alcatraz’.

Os episódios de ‘Alcatraz’ (que levam sempre o nome de algum preso) não saem de um padrão comum. A policial Rebecca Madsen e o escritor Diego Soto (um estudioso da prisão) participam de uma força tarefa (como no seriado Fringe, aqui temos uma espécie de agência secreta supervisionada por Emerson Hauser), e ambos precisam encontrar e capturar os presos que seriam transferidos da ilha em 1963, mas, que na verdade, desapareceram na transferência e que se encontram na época atual cometendo crimes.

Cada preso tem sua peculiaridade ou então a sua técnica/estratégia para exercer seus crimes. E enquanto eles retornam na atualidade, ao longo do episódio são mostrados detalhes (flashbacks) deles durante seu confinamento em Alcatraz (a passagem das cenas entre o presente e o passado é feita com uma cela se fechando). Do pouco das pistas que Rebecca e Soto possuem, eles precisam perseguir o criminoso e trazê-lo (de preferência vivo) para Hauser.

A série se concentra em poucos personagens fixos. Rebecca é aquela detetive competente e determinada para resolver os casos e Soto, por sua vez, é a mente da dupla, um ás da informática e da internet, e é dele que vem a parte humorada da trama envolvendo piadinhas que trazem o mundo dos quadrinhos e dos games à tona. Hauser, uma espécie de ‘manda-chuva’, é aquele agente experiente mas que esconde algo de seu passado. Vale citar também o diretor de Alcatraz nos anos sessenta, o sarcástico Warden Edwin James, pois dele vem toda uma sagacidade e ironia para tratar dos presos (alguns diálogos entre James e os presos, talvez, foram os melhores momentos da série).

Claro, vindo de J. J. Abrams, os mistérios constituem a tônica da série. Por que os prisioneiros aparecem na modernidade e sem apresentar traços de velhice? O quê aconteceu quando eles foram transferidos? O quê é guardado secretamente nos subterrâneas de Alcatraz que só alguns personagens sabem? As chaves? Você se lembrará de LOST e talvez, sob este aspecto, sinta um pouco de medo de algumas questões não serem respondidas ou então de que a série caia em outro rumo. A trama tem aqueles velhos clichês, nem tanta originalidade assim, mas alguns episódios foram memoráveis (como do preso que era experiente com minas explosivas).

Mas, como toda série depende de audiência, não há uma certeza se ‘Alcatraz’ pode continuar. Maio é que será decidido. Não vou dizer que a série é maravilhosa, e nem está sendo muito comentada pela internet, mas, empolga em certos aspectos. Além do mais, vindo da mente de Abrams sabemos muito bem que as peças do enigma precisam se encaixar para tudo ser explicado ao espectador. Vamos aguardar se haverá alguma renovação.

IMDB

Site oficial

Site brasileiro para entender mais a série

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s