DÊ UMA CHANCE: Cousteau – Sirena (2002)

ANTERIORES:
+ Migala – Asi Duele Um Verano (2002)
+ The Open – Silent Hours (2005)

Em redes sociais, tal como o Facebook, adoro postar vídeos de bandas que foram parte da minha vida musical. Numa dessas ocasiões, deixei a contagiante ‘Talking To Myself’ com seu belíssimo e inventivo vídeo. Lembro que uma colega minha se interessou pela banda e já veio logo querendo o disco. A banda inglesa Cousteau (de Londres) é exatamente assim. Quem conhece, passa a considerar e dificilmente apagará as músicas de sua memória.

Para entender o Cousteau, existem – pelo menos – dois álbuns de fundamental importância. Além desse comentado aqui, temos ‘Nova Scotia’ de 2005. ‘Sirena’ ganha um lugar especial na minha coleção justamente por ser aquele que me apresentou o universo da banda. Liam McKahey é um crooner com uma voz classuda e charmosa, influenciado (muito bem) por grandes nomes como David Bowie, Nick Cave, Leonard Cohen e Scott Walker. Juntando a isso, temos um instrumental potente e cheio de detalhes preenchidos com sopros, violinos, dedilhados de guitarras, harmônica, acordeão, órgão e piano. E há toda uma variedade nos gêneros. Em certos momentos, a banda resvala sem falhas para a soul music (‘Please Don’t Cry’) ou mesmo consegue fazer um inusitado jazz mesclado com bossa nova (‘Salome’).

Sob nuvens de melancolia e abusando de letras que tratam de romances, da personalidade humana e até de remorsos, os ingleses desfiam seu belo repertório. É chique ouvir aquela percussão requintada embalada com piano em ‘Peculiarly You’. A soturna e breve ‘Last Secret Of The Sea’ mostra que canções não precisam ser extensas para se tornarem épicas e inesquecíveis. E a gente, amante dessa arte, queria que todo disco na vida terminasse de forma afiada como ‘Have You Seen Her’ faz aqui. Refrão e melodia memoráveis que fazem o ouvinte quase se derrubar em lágrimas.

Uma banda que poderia ter recebido a mesma importância que o Tindersticks ou um The National. Infelizmente, não foi assim. Muitos julgaram o grupo, erroneamente, como um refugo da chamada geração britpop 90’s e isso talvez não alavancou um maior sucesso para esses ingleses. A exemplo do Migala, o Cousteau desapareceu no tempo, mas não de minha coleção de discos que me orgulho de ouvir até hoje, e muito menos de divulgar para amigos e amigas receptores da música de qualidade.

Observação:
Esse post é dedicado especialmente para a amiga Luciana Rielo que me fez resgatar o grupo.

Para saber mais (em inglês)

Veja o vídeo soberbo de ‘Talking To Myself’

4 pensamentos sobre “DÊ UMA CHANCE: Cousteau – Sirena (2002)

  1. Obrigado pelo comentário, Lorivaldo. Eles não ficaram famosos, uma pena. Assim como o The Czars, outra banda boa que falarei ao longo do ano. E na época que surgiram, só conheci por conta de alguns amigos que me aconselharam a banda, que passaram o disco pra mim, se não fosse assim, teria deixado passar. Estava ouvindo direto esse disco durante os dias que se passaram. Bem bonito mesmo, e a cada audição, encontro mais detalhes. Ouça o ‘Nova Scotia’ (2005) deles que é tão bonito quanto. E volte sempre, comente sempre,s eja livre para opinar e para sugerir tb. Abraços.

    Curtir

  2. Olá salvalaio

    Agradeço a sugestão desta banda que não conhecia. Fui ouvindo as músicas no Youtube e prestando atenção nos detalhes que indicou em algumas faixas e, realmente, a banda é muito boa, os músicos são excelentes e entrosados.
    Pop de alta qualidade que dá prazer ouvir mais uma vez; o vocalista tem um timbre que o destaca e não é exagero compará-lo a bowie e os demais que citou.
    Incrível que não sejam famosos, pelo menos aqui no Brasil nunca falar deles.
    Como há muita música boa de bandas desconhecidas, é legal quando encontramos quem se disponha a nos indicá-las.
    Também agradeço a generosidade em compartilhar.

    Abraços sonoros

    Curtir

  3. Obrigado, Mônica. Me sinto muito honrado e privilegiado por ver que meu trabalho (nem tanto um ofício, entenda mais como um hobby e um exercício de divulgação) é levado a sério e que o mesmo deixa uma influência e muitas dicas para bons adoradores da música. Me sinto lisonjeado também por ver que as leitoras estão presentes nos comentários dando dicas, agradecendo e apoiando minhas resenhas. E aguarde, pois nesta seção irão surgir muitas bandas bacanas ainda. Abraços e comente sempre!

    Curtir

  4. Seus posts são inspiradores. Posso, certamente, dizer que grande parte de tudo que você indica e mostra, vai diretamente para o meu “acervo” de favoritas. Obrigada pela generosidade, por compartilhar seu conhecimento. Esse em especial tá lindo. Lindo demais.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s