SAIU DO FORNO: Karl Bartos – Off The Record (2013)

ANTERIORES:
+ Snowden – No One In Control (2013)
+ Tomorrow’s World – Tomorrow’s World (2013)

Há aproximadamente 22 anos, pouco antes do lançamento da coletênea The Mix, Karl Bartos deixava o Kraftwerk, em suas próprias palavras: “queria ter vida própria”. No prosseguimento, participou de alguns projetos, dentre eles o Eletronic (de Bernard Sumner e Johnny Marr), e lançou um álbum solo, ‘Comunication’, de 2003. Passados dez anos desde então, e Bartos resolve mergulhar em seu vasto arquivo musical, criado ao longo de algumas décadas, saindo de lá com esse ‘Off The Record’. Seguindo a mesma linha eletrônica de sua antiga banda, Bartos apresenta um álbum onde é impossível não notar a discrepância entre as canções. A alternância de ambientações pode tanto remeter a climas de álbuns do Kraftwerk lançados nos anos 70 e 80, com um quê mais moderno, quanto dos anos 90, via Electronic. Essa proximidade sonora mais mostra a influência de Karl na música de ambos, do que um surrupio por parte do artista. A maior parte das canções são cantadas em inglês, com exceção de ‘Nachtfahrt’, um dos momentos interessantes do álbum, que conduz diretamente a ‘Autobahn’ um dos clássicos de sua ex-banda. Embora a marca registrada do álbum seja a profusão de sintetizadores Bartos gosta de cantar e o fazem várias canções, alcançando seu momento mais pop em ‘Without a Trace of Emotion’, que apesar do título frio é a canção mais “quente” do disco.

+ Entrevista com Karl Bartos (em inglês)

Veja o vídeo de ‘Atomium’

Um pensamento sobre “SAIU DO FORNO: Karl Bartos – Off The Record (2013)

  1. Acho que seu texto compreende bem o que senti desse álbum, expressa muito o que poderia dizer sobre ele. Há traços inconfundíveis do Kraftwerk em ‘Nachtfart’ e em ‘Instant Bayreuth’ (me trouxe um pouco aquele clima do ‘Trans Europe Express’). Adorei a melodia de ‘International Velvet’ apesar da certa melancolia que ela carrega. Entretanto, acho que uma canção como ‘The Tuning Of The World’ poderia até ter ficado excluída, achei ela meio fora de contexto. Um disco com alguns bons momentos, mesmo não sendo o que podemos esperar desse grande músico. E ótimo retorno aos textos, Luciano.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s