JOGOS: The Last Of Us (2013)

Anteriores:
+ Metro: The Last Light (2013)
+ Bioshock Infinite (2013)

Num fórum pela internet, um jogador todo orgulhoso de si diz que havia terminado ‘The Last Of Us’ em 10 horas. Além disso, ainda dizia que o jogo era falado à toa e que o próprio tinha a mesma mecânica da franquia ‘Uncharted’, também uma criação da empresa Naughty Dog. Infeliz desse sujeito que não aproveitou o jogo ao máximo, e na expectativa de dizer para todos e para o mundo que terminou logo, perdeu um dos maiores jogos de 2013.

A grandeza do jogo, só para lembrar, também está em sua duração. 21 horas e ainda não encontrei tudo, apesar de ter vasculhado cada canto possível de todos os ambientes. De tudo que joguei até hoje, excetuando RPG’s, esse talvez seja um dos jogos mais longos desde ‘Resident Evil 4’ (que mesmo sabendo todos os caminhos, ficava em torno de 15 horas para fechar). E dentro de uma jornada épica, essa é uma história onde você não sabe aonde vai terminar, os personagens que surgirão e os lugares/caminhos percorridos. Mesmo depois de terminado, tentar outras dificuldades, prestar mais atenção aos diálogos (a dublagem é ótima), fazer upgrade nas armas e encontrar mais detalhes são tarefas mais do que necessárias para curtir essa obra-prima.

Aqui temos aquele clima de pós-apocalipse, logo, temos um cenário devastado e caótico por uma epidemia que infestou o país e deixou apenas poucos sobreviventes, alguns deles imunes ou não, muitos em busca de comida, segurança e dos próprios parentes. Para o protagonista Joel, a missão é diferente, com um passado conturbado, ele precisa levar a garota Ellie para um grupo de pessoas que podem ter algumas respostas em torno do que vem acontecendo.


(cenário devastado, dois personagens marcantes e muita coisa para vasculhar e temer…)

O atrativo maior do jogo é sua realidade e funciona como estivéssemos no limiar máximo da sobrevivência. O combate é bem real e não permite que você aguente muitos danos. Os personagens são acuados e até frágeis, a munição é escassa e usar artifícios como agir na surdina (boas pitadas de stealth) e criar suas próprias armas e medicamentos são ótimas opções, sobretudo nos momentos mais tensos da história (e eles não serão poucos).

No mais, apesar de tantos clichês emprestados do cinema, a narrativa é algo grandiosa, apoiada em belos cenários e cenas retidas na memória mesmo depois do fechamento. É recompensante ver a relação Joel-Ellie e mesmo os personagens secundários recebem seus devidos destaques. Um jogo que não se esqueceu de dar tudo ao jogador: gráficos, diversão, narrativa, medo, emoção e sobretudo, perpetua um estado de arte para ser copiado na próxima geração de consoles, onde a potência/hardware dos consoles vem mais aprimorada.

O jogo é exclusivo para o console Playstation 3.

Prós
+ História imersiva, personagens bem construídos
+ Ação, drama, survival horror e elementos de stealth todos bem dosados.

Contras
+ Ser exclusivo do console da Sony
+ O loading inicial é um pouco demorado, e apenas isso.

2 pensamentos sobre “JOGOS: The Last Of Us (2013)

  1. Obrigado pelo elogio e pelo comentário sensato, Nevson Caider. Eu não vou mentir que comprei o PS3 por conta desse jogo. Estava muito curioso com ele. E tive cada satisfação, cada momento agradável que passei jogando ele. Aquilo que eu disse, é um jogo que nos faz pensar que jogos podem ser considerados como uma oitava arte. Um trabalho caprichado da produtora, um carinho para com o jogador que compra e que curte o jogo. Eu também fiz tudo que era possível. Hoje em dia jogo sempre na dificuldade hard, para aproveitar o desafio que nos é proposto. Vou dar uma dica: tente adquirir a DLC ‘Left Behind’ do jogo. Lindo. Será outro dinheiro bem empregado. Volte sempre.

    Curtir

  2. Parabéns pela bela postagem. Sem acrescentar qualquer coisa [até porque seria difícil adicionar algo ao belo texto], apenas endosso cada palavra do quanto escrito.

    Faz pouco tempo que adquiri este jogo e posso afirmar, sem dúvida alguma, que é o melhor que já joguei até hoje. Não tenho lá muitas experiências como gamer, mas faço o possível para curtir ao máximo o jogo e por vezes “perco” muito tempo com eles. Costumo jogar no nível difícil [hard] até para ser mais exigido e tentar extrair um pouco mais dos recursos que o jogo oferece.

    Tenho a lembrança de alguns títulos que ficaram marcados para mim, como os excelentes: God of War I, II e III, Black e Medal Of Honor: European Assault. Todos eles tem lugar cativo entre games que tive o prazer de jogar, mas a experiência vivida com “The Last Of Us” é qualquer coisa de indescritível.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s