CINEMA: The Way Way Back (O Verão Da Minha Vida, 2013)

Anteriores:
+ The Imposter (O Impostor, 2012)
+ Trabalhar Cansa (2011)

Para quem tem problemas familiares, um filme que trata desse tema sempre pode ser uma tarefa difícil. Entretanto, ‘O Verão Da Minha Vida’ é um filme agradável, não massacra e nem exagera nos dois gêneros que carrega (o drama e o sutil humor), além disso, não é mais um filme a tratar apenas de relações familiares. Os diretores Nat Faxon e Jim Rash criaram uma narrativa que trata da adolescência, da dificuldade de adaptação de certas pessoas, da incompreensão humana e inclusive, do poder da amizade. Poderia ser mais um filme de verão, sobre dias ensolarados, jovens a procura de aventuras e namoros, porém não é.

O personagem central do filme é o jovem Duncan (Liam James) de 14 anos. Vivendo com sua mãe, o padrasto Trent (Steve Carell) e uma meio-irmã, a convivência não é tão fácil e o jovem parece viver isolado dessa família. Trent (aqui um Carell muito sério) é um tanto quanto arrogante com Duncan, chegando até a estabelecer notas para o menino (‘você é um 3, mas pode se esforçar e chegar a um 6’). Duncan, por sua vez, é arredio às palavras de Trent, mas de qualquer jeito terá que passar uns dias de verão na casa de praia do padrasto. Liam James, apesar de uma atuação um tanto quanto tímida e fechada (pela índole do personagem), tem uma boa interpretação e com certeza nos fará lembrar de muitos momentos dos nossos 15 anos. Um promissor ator para a nova geração do cinema.


Owen e Duncan mostram que amizade é um dos maiores sentimentos dessa vida

Esquivando da arrogância de Trent, Duncan passa a fazer amizade com Owen (Sam Rockwell), um funcionário de um clube aquático da região. A cena em que os dois passam a se conhecer, num bar com uma máquina de Pac-man, é realmente emocionante e bem bolada. Em Owen, o jovem não apenas vê uma amizade certa, mas também um adulto que sabe lhe compreender e que é feliz pela vida que tem, não sendo limitado a defeitos ou erros que possam existir nos outros. Um filme que não traz a perspectiva exata de felicidade, longe disso, mas que mostra que pessoas precisam desabafar, ter um ombro amigo e necessitam ser compreendidas, e é dessa forma que Duncan vai vivendo suas experiências e tentando se adaptar à sua família.

Um filme que tem sim aqueles velhos clichês: o emprego de verão, primeiro beijo, o amigo que fica, descobertas e o despertar de uma consciência e da mentalidade. Contudo, essa película me deixou uma lição valiosa. Somos pessoas fragilizadas. Nunca seremos entendidos completamente ou mesmo nunca entenderemos as pessoas ao nosso redor. O melhor ainda é quando o espectador se encaixa na visão do personagem, neste caso, Duncan. E sai vibrando com um final aonde o personagem dá seu ‘tapa de luva’. Em que mais uma vez a simplicidade, o valor e a amizade vencem a prepotência e o descaso.

Cena bem legal do filme:
O personagem Owen fazendo referência ao filme Footlose e à canção ‘I Need A Hero’ de Bonnye Tyler.

Curiosidade:
Ambos os diretores do filme (Faxon e Rash) escreveram junto com Alexander Payne o roteiro de ‘Os Descendentes’ (2011). Eles também atuam como dois personagens neste filme.

IMDB

Rotten Tomatoes

Filmow

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s