SAIU DO FORNO: Chandeen – Forever And Ever (2014)

Anteriores:
+ North Atlantic Oscillation – The Third Day (2014)
+ Sebastien Schuller – Heat Wave (2014)

Só em 2014 estou ouvindo o Chandeen, mas por incrível que pareça, a banda já vem lançando seus discos desde 1994. E nessa década, o próprio grupo se firmou como um grande nome da cena Darkwave. Apesar disso, os próprios componentes taxam a sonoridade como uma espécie de ‘electronic poetry’. Fugindo de um gênero preciso, essa banda alemã (de Frankfurt) prova que bebeu bastante de expoentes musicais como Cocteau Twins (‘Invaded By Love’ lembra algo da banda de Liz Fraser). Outros nomes serão lembrados tais como Seefeel, Kate Bush e até mesmo Dead Can Dance. Fica bem visível no álbum a serenidade, uma sonoridade mais pautada no etéreo, atmosferas climáticas, vocais femininos marcantes, mais espaço para pianos e sintetizadores. ‘Wake Up, Starbuck’, ‘Splendid Echo’ e ‘Mountains’ se encaixam perfeitamente no que eu afirmei anteriormente. Claro que em alguns momentos, os germânicos ousam por uma canção mais explosiva, mais pop-rock-eletrônica como é o caso de ‘The Wild Unknown’. Um trabalho interessante e acima da média, sobretudo avaliando que eu não conhecia uma banda com mais de 20 anos de existência.

Observação importante:
Na semana que vem, entre os dias 16 e 19, acompanhe aqui os meus discos preferidos de 2014. Também teremos uma avaliação sucinta sobre séries, filmes e jogos. Fiquem atentos e estejam livres para comentar, amigo(a)s leitore(a)s!

Soundcloud

Site oficial da banda

Veja o vídeo oficial de ‘The Wild Unknown’

2 pensamentos sobre “SAIU DO FORNO: Chandeen – Forever And Ever (2014)

  1. Pois é, Luciano, essa banda eu até estranhei quando pesquisei sobre ela, antes de fazer essa resenha. Pois não vi muitos comentários em blogs e sites de música, e nem desconfiava que a banda já tinha um tempo bom de carreira. Obrigado pela informação extra, assim como pelo comentário.

    Curtir

  2. Conheci o Chandeen através da coletânea Musica Celestia, que reunia bandas do chamado Heavenly Voices. Na verdade, o álbum nacional era uma compilação reduzida da compilação original chamada Heavenly Voices, que tinha nomes como: Stoa, Love is Colder Than Death, Chandeen e outras. Tenho alguns albuns deles lançados anteriormente, mas esse foi novidade.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s