MATT BARTRAM – Moments Before (2016)

NOTA: 8,0

MATT_BARTRAM-MOMENTS_BEFORE

“Matt Bartram compõe uma ode portentosa ao barulho com facetas diversas”

Matt Bartram é um cara que realmente gosta do que faz: compor canções cuja tônica é o barulho, seja na forma mais suave ou mais bruta. Para dar vazão às diversas facetas, tanto pode se juntar ao Air Formation (sua banda “principal”), ou criar um projeto paralelo sob a alcunha de You Walk Through Walls ou, ainda, lançar álbuns solo como este.

“Moments Before” é o seu quarto trabalho solo e encontra Matt em seu percurso como fã e desbravador sonoro em aventuras que vão do space rock ao drone e do shoegaze ao krautrock.

“Dissolve” e “Brake It” abrem o disco apostando nas repetições e variações zero do início ao fim. O cadenciamento é hipnótico, e com bastante semelhanças entre ambas, inclua-se aí uso generoso de pedal tremolo.

Enquanto isso “Walls Around You” envereda por um lado mais conhecido pelos fãs do Air Formation, com guitarras melódicas e climas envolventes. “Visualise”, e seu climão de vocais mixados como se fossem cantados em uma ampla igreja, retoma as levadas hipnóticas, mas com forte aceno space-rock e uso de elementos psicodélicos, levando a rememorar Spiritualized e Spacemen 3.

Paisagens desoladas podem ser visualizadas na mistura de aspereza e candura de “Never”, uma das melhores faixas do álbum, com embalo melódico envelopado por camadas de distorção controlada e vocais sonolentos.

Ao avanço de cada faixa de “Moments Before” percebe-se a busca pelo diferenciamento de seus trabalhos solo do passado, a diversidade dos arranjos se faz presente. “Half of Time”, apesar de seguir o enredo iniciado em “Never”, tem um baixo de pegada pulsante, enquanto riffs distorcidos escalam as alturas e a recortam por diversos momentos, afogando elementos eletrônicos de fundo.

Para os acostumados com canções com amplas doses de barulho, encontrar a sinfonia noise “What Can We Do” será como um presente. Longa e repetitiva, pretende também hipnotizar com suas densas e confusas camadas de distorção em larga escala. O vocal, como em todas as outras faixas, mistura-se ao instrumental seguindo a ideia, bastante usada por banda que fazem esse tipo de som, de criar uma massa sonora única e disforme. São sete minutos de um banho de cascata noise.

No fechamento, “A Moment Before”, a faixa com arranjo mais dinâmico de todo o álbum, e que se insinua para um lado mais ambient, mas sem esquecer de pequenas incursões de ruídos e efeitos atrás da cortina, vez que a ideia é criar um clima de viagem sensorial.

Com “Moments Before” Bartram compõe uma ode portentosa ao barulho com facetas diversas e sem cair na mesmice.

MAIS:

+ POP ONÍRICO: Air Formation – Nothing To Wish For (Nothing To Lose) (2010)
+ NOISECAMP #3: You Walk Through Walls

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s