DELAY TREES – LET GO (2017)

Nota: 8,0

Banda finlandesa continua dentro de seu padrão de lançar canções marcantes traçadas por melodias memoráveis dentro de uma cartilha pop-rock do passado que merece respeito.

Para uma banda, nos dias atuais, chegar aos 10 anos de carreira, a tarefa não é tão simples. Num piscar de olhos, no apagar de uma lâmpada e mesmo nos sites vemos muitos grupos surgirem e depois nem sabemos do seu paradeiro. Muita informação, talvez? A facilidade dos meios de comunicação? Só não quero pensar na banalização da música. Não, por favor. Pois o Delay Trees não faz isso com ela. De uma forma simples e seguindo a cartilha de bons grupos do passado, o quarteto traça uma boa trajetória dentro de uma década, chegando ao seu quarto e seguro álbum, ‘Let Go’.

Desde o primeiro álbum, lá em 2010, o Delay Trees havia deixado uma marca muito forte e impressionante para um début. Claro que a internet não proporcionou tanto conhecimento assim, e a banda manteve seu lugar, num estado quieto, mas foi conquistando seus fãs, os investigadores da boa música. É muito bonito ver a página da banda, vamos dar um exemplo, no Twitter, onde há todo um carinho recíproco entre fãs/ouvintes e banda. Discos autografados, comentários, elogios, dicas de outras bandas, informações de shows (é essa a internet que precisamos).

Algum detrator de cara vai dizer que tudo é Stone Roses demais, que a guitarra vai na pegada de The Smiths, outros momentos parece algo do The LA’s. Ora, ‘Best Things’ é quase um Stone Roses na minha opinião. Se fizesse uma cabra-cega* comigo e nunca tivesse ouvido os finlandeses, diria sem pestanejar a turma de Manchester. Mas esse é o Delay Trees. Capaz de fazer melodias encharcadas de alegria para voltar a andar de bicicleta em noites de verão (‘Black Ice’), de mesmo pegar uma levada tendo The Beatles como influência (‘Blame It On The Snow’), e de ainda criar refrões grudentos de se cantar junto a plenos pulmões (‘Pale July’). Não precisaria dizer da guitarra dedilhada que fecha primorosamente ‘Sound Of Darkness’, porém faço assim mesmo de teimosia.

Nunca diga que a música se vendeu, que se banalizou, que sempre teremos que acreditar, e somente acreditar, nos nomes do passado. Delay Trees prova que ela pode te conquistar, te exaltar e que em momentos da vida ela pode ser tratada com respeito. Não importa com o que ela pareça, qual sua influência, importa como chega a você e a marca que ela te imprime.

* – Cabra-cega era uma brincadeira na antiga revista Bizz onde um músico era posto a prova ao ouvir diversos discos. Ele tinha que adivinhar quem era. Tratava-se um artigo bem legal e cheio de surpresas.

Mais sobre o grupo:
Bandcamp
Site oficial
Soliti, gravadora da banda
Soundcloud
Twitter

Veja o vídeo oficial de ‘Brightest Eyes’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s