QUEM?: Spirea X

As raízes do Spirea X estão fincadas em outra banda escocesa, no Primal Scream, de onde saiu um dos fundadores, o guitarrista Jim Beattie, e também o nome da banda – Spirea-X é o nome de uma das faixas do lado B do single “Cristal Crescent”, do Primal Scream. Beattie largou o Primal Scream em 1988, logo após o lançamento do primeiro álbum, “Sonic Flower Groove”, ao que tudo indica dor diferenças musicais. Posteriormente juntou-se a sua namorada Judith Boyle (backing vocals) e mais James O’Donnell (baixo) , Thomas McGurk (guitarra) e Andy Kerr (bateria) e deu vida ao Spirea X, que logo foi contratado pela gravadora 4AD.

Em abril de 91 o Spirea X lança seu primeiro single, “Chlorine Dream”, inspirado na vida de Brian Jones (Rolling Stones). “É mais sobre uma pessoa como Brian Jones do que sobre o Brian Jones em si”, afirmou Beattie em uma entrevista da época, admitindo que na época em que escreveu a canção estava lendo um livro sobre os Stones. “Chlorine Dream” tem toques psicodélicos, batida dançante e vocais lânguidos, elementos muito usados na época por bandas como Telescopes, Chapterhouse, The Charlatans, Ride e o próprio Primal Scream. Apesar disso, Beattie, considerado arrogante por parte da imprensa, insistia que não havia banda igual a eles.

Esse lado polêmico/presunçoso de Beattie pode ser encontrado em algumas frases que costumava usar em entrevistas, duas delas: “Não acho que somos ególatras como o Ride, não preciso pois tenho minha música que me garante”; “Há muitas pessoas são reticentes em suas ideias, não sou como elas. Somos um grupo pop brilhante. Escrevemos canções brilhantes. Odiamos os Stone Roses e não há muito mais a falar”.

Em maio de 91 sai o EP “Speed Reaction”, contendo a faixa título e mais três canções. A canção título segue por um lado ensolarado, lembrando algo do Primal Scream era “Sonic Flower Groove”. “What Kind of Love” também tem um quê de Primal Scream, só que já com a pegada percussiva dançante, backing vocals femininos e guitarras distorcidas esparsas.

“Fireblade Skies” é lançado em outubro de 1991. O álbum traz onze faixas, nove inéditas e os a-sides dos singles anteriormente lançados. Não há surpresas, musicalmente falando, a verve é a mesma que já vinham mostrando: psicodelia, batidas dançantes, melodias e riff ganchudos, vocais lânguidos, mantendo-se em para com as bandas já citadas no segundo parágrafo. Cabe destacar as faixas: ” Nothing Happened Yesterday” (uma gema pop), “Fire and Light” (a canção mais viajada do grupo), “Confusion in my Soul” e “Sunset Down” (totalmente lisérgica).

Em 92, com a banda já reduzida a um duo, restando apenas Beattie e a namorada, o Spirea X é dispensado pela 4AD e na sequência encerra as atividades. A dupla viria a formar o Adventures in Stereo.

:::ÁLBUNS:
Fireblade Skies (1991)

::: SINGLES/EP’S:
Chlorine Dream (1991)
Speed reaction (1991)

:::MAIS SOBRE A BANDA:

+ 4AD
+ Reportagem
+ Resenha

Um pensamento sobre “QUEM?: Spirea X

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s